JOSÉ PAULO SANTOS, conhecido como MESTRE PAULÃO, nasceu em São Paulo, Capital, chegou a Brasília na antiga Cidade Livre em 1957, onde mais tarde foi morar na cidade satélite de Taguatinga em 1958 e permanece até hoje.

 Viu a capoeira pela primeira vez em Taguatinga em 1964, com um grupo de trabalhadores que vieram do Rio de Janeiro para trabalharem no antigo DFL (Departamento de Força e Luz), hoje conhecida como CEB todas as tardes se reuniam em um campo de futebol, e antes do jogo, praticavam a capoeira enquanto aguardavam a chegada dos demais e Paulão entrava na brincadeira no jogo da pernada como era chamada naquela época pelos cariocas.

              A partir daí tomou gosto pela arte e começou a treinar com um amigo que também veio do Rio de Janeiro, cujo nome era Luiz do Couto, mais conhecido como Kathelba, mais tarde Kathelba veio a falecer, e Paulão continuou na busca pelo aprendizado da capoeira juntamente com outro amigo, Antonio Teodoro da Silva, mais conhecido como Tonhão os dois treinavam diariamente com auxilio do livro “capoeira sem mestre” de Lamartine Pereira da Costa.

             Depois de algum tempo passaram a desenvolver um trabalho com capoeira no centro de Taguatinga, no fundo de uma padaria, onde treinavam de domingo a domingo. Com o passar dos tempos conheceram o mestre Adilson no Colégio Elefante Branco, e aprenderam muitos sobre a capoeira regional, não esquecendo também do mestre Tabosa, que sempre freqüentavam as rodas e treinos dos mestres.

Em 1971, chega a Brasília o famoso Waldemar Santana conhecido como Leopardo Negro e mestre Tarzan que foi aluno do mestre Bimba. Paulão e Tonhão os conheceram e passaram a fazer parte do mundo da luta livre e da capoeira na academia de Waldemar Santana.

             Por serem muitos amigos os dois sempre davam aulas juntos nos locais onde eram convidados na cidade satélite de Taguatinga, por onde deixaram muitos alunos bons capoeiristas sem querer citar nomes, mas foram milhares de jovens aquela época que treinaram conosco.

            Paulão também teve a oportunidade juntamente com outro parceiro no mundo da capoeira conhecido como mestre Tranqueira de viajar até a cidade de Goiânia para conhecer o famoso Mestre Bimba, onde tiveram a oportunidade de conversar com o Mestre um pouco sobre a nobre arte, estiveram por alguns finais de semana a oportunidade impar de explorar do Mestre Bimba a arte da Capoeira Regional.

             Paulão continuou sua busca no aprendizado disputou o primeiro campeonato brasileiro da modalidade organizado pela Confederação Brasileira de Pugilismo em 1975, na cidade de São Paulo onde consagrou o 1º (primeiro) campeão peso pesado, titulo inédito na época para o DF, época em que conquistou o tricampeonato de luta greco romana, foi vice capeão brasileiro de boxe e penta campeão centro oeste de judô. 

            Foi reconhecido como Mestre de Capoeira pela Confederação de Pugilismo em 1975.

            Filiou-se a Associação Brasileira de Professores de Capoeira – ABPC em 1981, hoje reconhecido como mestre cordão branco da entidade fazendo parte do Conselho Superior de Mestre.

            Paulão não parou por aí continuou nos estudos, formado em Educação Física e Administração de Empresas com pós-graduação em Técnica em Treinamento Desportivo, Metodologia do Ensino Superior, Especialização em Esporte Escolar – CEAD / UNB; Mestrando em Educação Física - Universidade Católica de Brasília – UCB; Curso de Inglês - CIL (6 anos) e uma larga experiência em outras artes marciais como judô faixa preta 4º grau, professor de boxe e luta livre - vale tudo.

Depois de ter ministrado aulas em vários lugares no DF, e ter passado pelo Departamento de Educação Física Esporte e Recreação – (DEFER), onde ministrou aulas de capoeira por 20 anos e no Centro Interescolar de Educação Física – CIEF por 10 anos.

Também não podemos deixar de mencionar que foi um dos fundadores do Conselho Regional de Educação Física – CREF7,  Foi fundador e Presidente da Federação de Capoeira do DF e da Associação Arte Regional de Capoeira-AARC, também Presidente da Federação de Pugilismo, e Federação Brasiliense de Boxe do DF.

               Ao longo de todos esses anos sempre se preocupou com os jovens que vivem em situação de risco procurando ajudar a todos. Isso é um pouco de uma longa vida dedicada a Artes Marciais do mestre Paulão.